Todas as mulheres, desde a adolescência, se preocupam com as secreções vaginais. As mais jovens, principalmente, ficam envergonhadas e com dúvidas sobre a necessidade de procurar um médico. É preciso dizer que esse líquido que sai da vagina nem sempre significa que existe um problema de saúde. Ao contrário, se o líquido for claro e inodoro, não há motivo para preocupação.

Isso porque é absolutamente normal as mulheres observarem um fluido que se acumula na roupa íntima, de cor clara, sem odor ruim e que varia na quantidade ao longo do ciclo menstrual.



Essa secreção, chamada de corrimento vaginal, é um líquido que está ligado ao aparelho genital feminino, constituído por células mortas da vagina, bactérias da flora vaginal e muco, que ocorre em todas as mulheres em idade reprodutiva e acontece devido ao aumento do conteúdo desses fluidos. O volume pode variar conforme as fases do ciclo menstrual, de uma mulher para outra e pode acontecer devido a doenças, como infecção do colo do útero, vagina e/ou vulva ou ainda por motivos fisiológicos, em períodos em que estimulação hormonal é maior, como no período da ovulação, no pré-menstrual e durante a gravidez.

Porém, se a quantidade de corrimento for além da roupa íntima, tiver uma cor diferente de branco, leitoso ou transparente, cheiro desagradável, ou causar coceira e ardor vaginal, é necessário procurar o ginecologista.

O médico deverá fazer um exame ginecológico e verificar o pH vaginal e o teste de Whiff (do cheiro). Se esse tipo de corrimento acontecer mais de quatro vezes ao ano, é necessário cuidado específico com um ginecologista especialista em infecções. O profissional pode ainda solicitar testes mais precisos para detectar o problema.

O tratamento varia de acordo com a causa do corrimento. Se a avaliação indicar que o corrimento é normal, não há necessidade de medicamentos pois trata-se se da umidade vaginal e a paciente deverá receber orientações e esclarecimento e não precisará ser medicada.

Se o corrimento tiver como causa uma enfermidade, o tratamento será feito à base de medicamentos. Como no caso do diagnóstico de uma vulvovaginte, por exemplo, quando cada agente causador da infecção será tratado com medicamentos específicos.

Às futuras mamães: as mulheres que desejam engravidar precisam fazer exames para verificar se estão livres de doenças. Caso haja alguma infecção, é preciso tratá-la imediatamente para prevenir futuros problemas de saúde no bebê.

Para saber mais acesse www.mulhercoracao.com.br

 

RUA BOTUCATU, 572 - CJ. 112 - SĂO PAULO - SP - CEP 04023-061
TEL (11) 5908-8385 / E-MAIL: SBCM@SBCM.ORG.BR