Notícias da SBCM

» DIOCLÉCIO CAMPOS JÚNIOR

Médico, professor de pediatria emérito da UnB, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Pediatra, membro titular da Academia Brasileira de Pediatria e

presidente do Global Pediatric Education Consortium (Gpec) 

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 

Publicação: 13/12/2016 04:00

 

 

O Natal é a rememoração do nascimento de uma sublime criatura humana, o menino Jesus. Acolhido num berço familiar marcado pela pobreza material, mas transbordante em afeto, ternura, aconchego parental e respeito reverencial à criança recém-nascida, aquele ser humano, gerado em Belém foi carinhosamente amamentado por sua mãe, protegido, estimulado, educado em família. Graças ao crescimento e desenvolvimento saudáveis, adquiridos ao longo da infância e adolescência, chegou à vida adulta com o fulgor que iluminou o exercício de sua tão grandiosa liderança, integralmente comprometida com as transformações imprescindíveis para a humanização da sociedade. Sua louvável biografia foi consagrada como um divisor de águas que qualifica a história da humanidade. 

 

Dois magníficos conceitos emanam desse capítulo magistral da história. Merecem, consequentemente, um enfoque elucidativo especial. Ambos traduzem a sabedoria que cidadãos da época, formados na forte cultura religiosa de então, foram capazes de manifestar. O primeiro deles refere-se à identificação do menino Jesus como filho de Deus. Revela o caráter divino que deve ser atribuído à criança, entendida como o ser humano na fase existencial mais próxima da fonte de vida. O outro corresponde à expressão “Sagrada Família”, com a qual foi realçada a importância de um casal no cumprimento de abrangente missão, eivada de ilimitados pendores. É a evidência perceptiva, desde primórdios tempos, do sagrado papel que cabe à família como útero social da humanidade. 

 

Incorporados por sucessivas gerações, esses dois valores tornaram relevantes os componentes primordiais do legítimo humanismo, livre de preconceitos, segregacionismos e iniquidades que a sociedade ainda não soube desfazer. Dada a grandeza de que se revestem, foi escolhida a data de 25 de dezembro do calendário internacional para a comemoração anual do nascimento do menino Jesus, que se consolidou como o dia do Natal. 

 

As homenagens à infância passaram a ser o cerne dessa iniciativa. Criou-se a tradição do presente de Natal, um gesto mavioso do culto ao divino mérito da infância, celebrizado ao longo dos séculos. A figura do Papai Noel projetou-se na conjuntura ética e igualitária que impregnou as iniciativas natalinas. Sua imagem simbolizava a ação caridosa de alguém que obtinha doações e as convertia em brinquedos entregues às crianças cujas famílias não possuíam recursos para fazê-lo. O genuíno personagem Noel, isento de interesses outros, foi progressivamente integrado ao protagonismo das crenças e ritos que celebram o nascimento do menino Jesus. 

 

O clima amável e efusivo do Natal é o melhor alicerce de uma sociedade. Consiste na mais autêntica aproximação entre as pessoas. Evoca os eflúvios dos nobres sentimentos que ainda resistem inabaláveis nas entranhas mentais de cada um. Por isso mesmo, deveria expandir-se ao longo do ano como a espontânea linguagem comunicativa que vem das profundezas da alma. Seria a contínua expressão de uma alteridade serena, inspirada na riqueza emocional que caracteriza os festejos natalinos. O brilho espiritual do afeto inerente à relação humana venceria o obscurantismo do cotidiano, lançando efeitos radiosos da mais pura interação que anima a harmonia comunitária. 

 

A leveza de tão afável atmosfera, respirada coletivamente no mesmo período de cada ano, traduz a síntese da valiosa paisagem humanista, que é, sem dúvida, o principal conteúdo do calendário. Equivale ao componente socioambiental que justifica a qualidade sapiens da espécie, porquanto preserva primores éticos e sociais advindos de um fulgurante passado que se mantém presente. 

 

Se esse contexto primoroso, que cala fundo nos sentimentos de grandes populações do planeta, propagar-se por toda a existência do indivíduo, independentemente da data específica do calendário, as transformações inadiáveis para os avanços evolutivos de que depende o futuro da espécie resultarão de um projeto cujos ingredientes serão todos oriundos da substância natural do amor. 

 

O fortalecimento da família como ambiente síntese da estima, afeto, carinho e ternura é fertilizante indispensável ao desabrochar da educação frondosa como verdadeira árvore de Natal, de cujos frutos depende a adequada nutrição da sociedade. Com o núcleo familiar assim valorizado, a criança voltará a ser a estrela-guia para os investimentos contínuos e prioritários capazes de desenvolver todas as suas virtudes potenciais, perpetuando-se a luminosidade de vida que a infância sempre possui.

 

Fonte: Correio Brasilienze Impresso | Opinião

A Sociedade Brasileira de Clínica Médica oficialmente na data de hoje (29/07) a campanha Mulher Coração, que terá como objetivo orientar e alertar as mulheres de todo o Brasil sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce das doenças cardiovasculares. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 23 mil mulheres morrem diariamente vítimas de doenças cardiovasculares. Visando conscientizar sobre este problema global e frequentemente associado apenas aos homens, a Sociedade Brasileira de Clínica Médica (SBCM) desenvolveu a campanha Mulher Coração, com apoio institucional da Marjan Farma.

“A iniciativa nasceu da necessidade de informamos as mulheres acerca da prevenção de doenças cardiovasculares. Na maioria das vezes, elas não sentem os sintomas comuns, como dores no peito, e, por conseguinte, não valorizam os sinais de possíveis problemas. Aproximadamente 30% dos acidentes cardiovasculares acontecem entre a população feminina, no Brasil – assim, é de nossa responsabilidade divulgar as formas de identificar e evitar estes casos”, afirmou o presidente da SBCM, Antonio Carlos Lopes. 

Tratado de Clínica Médica - 3a Edição

De autoria do conceituado professor Antonio Carlos Lopes, a obra em dois volumes é vencedora do Prêmio Jabuti e já tem mais de 20 mil exemplares vendidos.

Em 2016, a Escola Paulista de Clínica Médica (EPCM) dá início ao inovador curso de FISIOPATOLOGIA APLICADA NA CLÍNICA MÉDICA, fundamentalmente baseado na fisiopatologia das principais doenças clínicas. O conteúdo programático, pedagogicamente organizado, tem por objetivo dar formação aos alunos, principalmente durante a graduação – do 4º ano em diante - permitindo que sejam capazes de fazer um diagnóstico clínico adequado e não meramente baseado na semelhança. Com isso o aluno, aprenderá a desenvolver o raciocínio clínico e hipotético dedutivo. 

Além dos conteúdos teóricos e das aulas práticas, o curso inclui discussão de casos clínicos e correlações anatomo-clínicas. Sua metodologia ativa no ensino médico tem como meta estabelecer uma relação cooperativa entre professor e aluno, garantindo que o estudante receba suporte mesmo fora das aulas. A EPCM também abre vagas para a Iniciação Científica com orientação dos professores livre-docentes, oferecendo subsídios para o desenvolvimento de trabalhos de conclusão de curso, com validade para o currículo, que aprimorará o raciocínio e a prática da pesquisa. “Em paralelo, já estamos programando a realização de um Congresso de Iniciação Científica que será marcado pela apresentação das monografias em sessão solene e publica”, afirma o diretor da EPCM, Antonio Carlos Lopes.

Para saber mais, acesse o site aqui.

Por iniciativa do conceituado clínico, cardiologista e professor, Antonio Carlos Lopes, foi fundada, em 2015, a primeira escola médica temática do país, a Escola Paulista de Clínica Médica (EPCM). A entidade tem como missão incrementar a formação do estudante de medicina, especialmente aquele que está no 4º ano do curso, além de promover atualização e reciclagem do médico.

Imersa no que há de mais avançado em termos de tecnologia, a EPCM tem infraestrutura para oferecer cursos presenciais e à distância, com potencial para beneficiar também residentes e médicos de todas as regiões do país.

Seu modelo pedagógico inovador valoriza a verdadeira educação médica baseada na conduta humanística, estímulo à relação médico-paciente e atuação à beira do leito. Tem como filosofia a busca pela formação global do médico, oferecendo ferramentas para construção do próprio conhecimento e habilidade de enxergar o doente além da doença que o acomete.

Por isso, a EPCM investe em um currículo emancipatório, flexível, atual e baseado na comunidade, contemplando o saber emergente. Além das disciplinas convencionais, agrega temas de enorme relevância para a atuação profissional do médico, como Construção de Valores, Gestão em Saúde, Humanidades, Direito em Saúde, Ética e Bioética.

1º Curso Integrado de Clínica Médica

A EPCM iniciou suas atividades acadêmicas no último dia 12 de setembro com a realização do 1º Curso Integrado de Clínica Médica. Com a participação de professores altamente qualificados, o curso de 32 horas tem modelo pedagógico atual e metodologia de ensino avançada, além de possuir currículo à altura dos anseios de todos aqueles que exercem a Clínica Médica no Brasil. Voltado para médicos e estudantes de Medicina, pretende ampliar o conhecimento nos temas de maior relevância da especialidade, fornecendo importantes ferramentas para complementar a formação acadêmica. “O raciocínio clínico tem sido a base de todas as exposições que fazem a diferença na atuação do médico, já que este profissional muitas vezes acaba se diferenciando no diagnóstico e se igualando no tratamento. Temos certeza absoluta de que todos os participantes estão aproveitando bastante a experiência”, afirmou Antonio Carlos Lopes, diretor da EPCM.

No início de 2016, a entidade abrirá vagas para o Curso de Clínica Médica, que terá 360 horas e será voltado para estudantes do 4º ano de medicina. “Todos poderão aproveitar ainda mais essa proposta de um curso diferente que valoriza a fisiopatologia e a etiopatogenia, o que infelizmente não é abordado da maneira como deveria nas escolas médicas”, completou.

Para saber mais sobre o curso e se inscrever na modalidade online, acesse o site: epcm.cursoemmedicina.com.br.

RUA BOTUCATU, 572 - CJ. 112 - SĂO PAULO - SP - CEP 04023-061
TEL (11) 5908-8385 / E-MAIL: SBCM@SBCM.ORG.BR